Wes Craven: 1939-2015

(31 de ago de 2015)




Wes Craven, uma das lendas por trás do cinema de terror, morreu neste domingo (30/8). O cineasta tinha 76 anos. Sem dúvida, uma das maiores perdas que o cinema sofreu nos últimos tempos. Vamos relembrar um pouco de sua carreira, e rever alguns dos clássicos que ele lançou.


Craven ficou famoso por seus filmes de terror e suspense, alavancando um gênero que nunca foi tratado como comercial e era sempre relegado ao tratamento dado a filmes B. É quase unânime a forma como cineastas do gênero dão crédito a Craven por ter aberto o campo.


Craven começou sua carreira na década de 1970. Contudo, uma coisa que pouquíssimas pessoas lembrariam, é que o ele começou dirigindo filmes de outro gênero: filmes pornográficos. Ele utilizava pseudônimos na época, o que dificulta um pouco a pesquisa. O único realmente possível de encontrar em sua filmografia foi The Fireworks Woman (traduzindo no pé da letra, o título seria A Mulher que emite Fogos de Artifício, uma referência bem óbvia). O filme de 1974 lidava com incesto entre irmãos.


O filme de estreia que a maioria lembra é Aniversário Macabro, de 1972. Além de ser baseado em fatos reais, o filme é considerado uma reinvenção do clássico de Ingmar Bergman, A Fonte da Donzela. Craven produziu uma obra altamente controversa, com altos graus de violência e sexualidade. Histórias de terror geralmente geram opiniões fortes e divergentes, até pelo conteúdo apelativo. Até que ponto cinema é considerado de bom gosto? É um debate interminável, e depende do diretor o quanto ele resolve mostrar ao público. De qualquer forma, o primeiro filme de Craven possui tanto fãs quanto detratores.




Mais do que qualquer outra obra, Wes Craven é principalmente lembrado pelos fãs por seu papel na criação de um dos ícones do horror: Freddy Krueger.


A Hora do Pesadelo foi lançado em 1984. Assim como Sexta-Feira 13, o filme foi o pontapé inicial de uma enorme franquia lucrativa, tanto para o estúdio quanto para os fãs, que sempre puderam contar com doses consecutivas de vítimas sendo retalhadas. Quem viveu na década de 1980 lembrará bem. Apesar de não ter dirigido as continuações, o impacto da obra original repercurtiu, e todos os diretores seguintes tentaram manter-se fiéis ao máximo ao que Craven havia criado. O filme deu tão certo porque atingiu o subconsciente do público. A idéia de um vilão que matava suas vítimas em seus sonhos sempre foi terreno fértil psicológico a ser explorado, e Craven foi capaz de unir essa idéia no contexto de terror audiovisual.




Com o passar do tempo, o gênero terror foi dando sinais de cansaço. Na década de 1990, parecia que os dias de Freddy Krueger e Jason estavam ficando para trás. Foi então que Craven deu a volta por cima e lançou um filme que reenergizou o gênero: Pânico. Com roteiro de Kevin Williamson, o filme foi uma sátira dos próprios filmes de terror feitos até então. Misturando comédia e sustos, Craven extraiu uma fórmula que acabou tornando-se base para diversas continuações, e também outros filmes do mesmo gênero (pode se dizer que Williamson contribuiu, já que ele roteirizou diversos desses filmes derivados), unindo personagens adolescentes, temas de rebeldia, sexualidade, irreverência e assasinatos gratuitos.








Quem não se lembra da cena de abertura de Pânico? Nela temos Drew Barrymore, cuja personagem passa a noite assando pipoca em sua casa, e recebendo um telefonema misterioso que parecia mais um trote. Vale lembrar que ao contrário de Neve Campbell, Barrymore era atriz conhecida desde os tempos de E.T., e estava no cartaz do filme. Ninguém esperava que ela fosse ser morta em menos de 5 minutos do início do filme pelo vilão. A cena apavorou salas de cinema pelo mundo em 1996. Se você não podia se sentir seguro dentro de casa, onde mais sentiria?


Confira a lendária cena abaixo:





Ao contrário de A Hora do Pesadelo, Craven esteve disponível e acabou dirigindo todos os filmes da franquia Pânico. Inclusive, Pânico 4 de 2011 acabou sendo seu último filme. Todavia, ele estava envolvido como produtor executivo na criação da série de TV baseada nos filmes, que deverá estrear ainda este ano.


O sucesso de Pânico levou Craven a dirigir Meryl Streep em Música do Coração. Fugindo um pouco do terror, o filme foi um drama musical que acabou dando uma indicação a Streep. Era uma situação rara, mas vimos que Craven era capaz de ser versátil, deixando um pouco sua especialidade de lado.


Craven fará falta. Ele sempre foi um diretor que ia direto ao assunto, estritamente profissional, dedicado, nunca deixou o ego dominar, e nunca deixou a vida pessoal afetar sua carreira. Mais do que qualquer coisa, foi um diretor autoral capaz de transitar entre obras pessoais marcantes e filmes comerciais que levantaram um gênero da obscuridade e fizeram dele um ídolo para muitos fãs. Ele será sempre lembrado.


Descanse em paz.



Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 13:07  

Momento Trivia - Ted 2

(28 de ago de 2015)




Confira alguns fatos e curiosidades a respeito do filme, a seguir:


- Mila Kunis não pode reprisar seu papel do primeiro filme, pois estava grávida.


- Quanto Ted tenta provar que possui uma alma, ele canta a mesma música que o personagem canino Brian Griffin canta na animação Family Guy. Ambos os personagens são dublados por Seth MacFarlane.


- MacFarlane teve a idéia para trama deste filme durante as filmagens de Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola. Ele estava lendo os livros de John Jakes sobre a guerra civil norte-americana que serviram como base. A idéia original envolvia Ted e John transportando maconha pelo país, e acabou sendo descartada quando Família do Bagulho foi lançado nos cinemas.


- Amanda Seyfried estrelou Um Milhão de Maneiras de Pegar na Pistola junto com MacFarlane e Liam Neeson.


- O 11 de setembro é mencionado no filme. Tanto Mark Wahlberg quanto Seth MacFarlane tinham assentos comprados para o vôo 11 da American Airlines naquele dia. Ambos deixaram de embarcar, e acabaram escapando do atentado terrorista.


- A música que toca no celular de John é a música-tema do clássico Super Máquina.


- Seth MacFarlane, que criou diversas animações de sucesso, é um fã aberto de Jornada nas Estrelas. Diversos atores da franquia aparecem no filme, incluindo Patrick Stewart.


- Na cena em que John e Ted invadem a casa de Tom Brady, as estatísticas que ele menciona tiveram de ser revisadas no roteiro para incluir sua mais recente vitória em 2015.


- O trailer incluia uma cena em que ocorria uma perseguição de carros que culminava com uma batida. Inclusive, Amanda pergunta a Ted e John se os passageiros estão bem. A cena foi retirada do filme antes dele ser lançado.


- Outra mudança de edição: no filme, há uma cena em que Tom Brady jogava Ted do alto de seu terraço, e Ted usava um casaco amarelo. Contudo, quando a mesma cena foi mostrada nos trailers, Ted não vestia nada.


- Um dos melhores amigos de Mark Wahlberg, Johnny Alves, tem uma pequena aparição no filme. Ele foi a inspiração para a criação do personagem Johnny Drama, visto em Entourage.


- Durante a sequência da Comic-Con, o personagem Guy pode ser visto usando uma fantasia mal feita do personagem The Tick. Patrick Warburton, que interpreta Guy, interpretou o próprio Tick na adaptação cinematográfica do personagem.





Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 12:49  

Estreias da Semana - 27/08/2015

(27 de ago de 2015)



Confira, em detalhes, as estreias desta semana a seguir:



Homem Irracional

Em crise existencial, o professor de filosofia Abe Lucas chega para lecionar em uma pequena cidade. Uma de suas alunas se aproxima dele por estar fascinada com seu intelecto. Ele também é alvo de Rita, uma professora casada que tenta ter um caso com ele.

Drama / Suspense / Romance - (Irrational Man) EUA, 2015.

Direção: Woody Allen.
Roteiro: Woody Allen.
Elenco: Joaquin Phoenix, Emma Stone, Jamie Blackley, Parker Posey, Ethan Phillips, Betsy Aidem, dentre outros.

Duração: 95 min.
Classificação: 14 anos.



Expresso do Amanhã

Quando um experimento para impedir o aquecimento global falha, uma nova era do gelo toma conta da Terra. Os únicos sobreviventes estão a bordo de uma máquina chamada Snowpiercer. Lá, os mais pobres vivem em condições precárias enquanto a classe rica é composta por pessoas que vivem como reis. Até o dia em que um dos miseráveis resolve mudar o status quo, descobrindo os segredos desse trem.

Drama / Ação / Ficção Científica - (Snowpiercer) EUA / França / Coréia do Sul / República Tcheca, 2013.

Direção: Bong Joon-ho.
Roteiro: Bong Joon-ho e Kelly Masterson.
Elenco: Chris Evans, Jamie Bell, Tilda Swinton, Ed Harris, John Hurt, Song Kang-ho, Octavia Spencer, Alison Pill, dentre outros.

Duração: 126 min.
Classificação: 16 anos.



Hitman: Agente 47

Agente 47 é um assassino de elite geneticamente modificado para ser a máquina de matar perfeita. Ele precisa caçar uma mega-operação que pretende usar o segredo de sua criação para a formação de um exército imbatível. Ao juntar forças com uma misteriosa jovem, que pode garantir o sucesso da missão, ele vai descobrir segredos de sua origem durante a batalha contra seu maior inimigo.

Ação / Policial - (Hitman: Agent 47) EUA / Alemanha, 2015.

Direção: Aleksander Bach.
Roteiro: Skip Woods e Michael Finch.
Elenco: Rupert Friend, Hannah Ware, Zachary Quinto, Ciarán Hinds, Angelababy, Thomas Kretschmann, dentre outros.

Duração: 85 min.
Classificação: 16 anos.



Corrente do Mal

Jay leva uma vida tranquila entre escola, paqueras e passeios no lago. Após uma transa, o garoto com quem passou a noite explica que carregava no corpo uma força malígna, transmissível a outros apenas pelo sexo. Enfrentando o dilema de passar a força adiante, Jay é perseguida por figuras estranhas que tentam matá-la, mas não podem ser vistas por ninguém.

Horror / Suspense - (It Follows) EUA, 2014.

Direção: David Robert Mitchell.
Roteiro: David Robert Mitchell.
Elenco: Keir Gilchrist, Carollette Phillips, Maika Monroe, Lili Sepe, Daniel Zovatto, dentre outros.

Duração: 100 min.
Classificação: 14 anos.



Ted 2

Completamente apaixonado, Ted decide se casar com Tami-Lynn. Entretanto, não demora para que o casal entre em crise. Querendo evitar um divórcio, Ted resolve ter um filho e Tami-Lynn fica empolgada com a idéia. Eles fazem uma busca para encontrar um doador de esperma ideal. Sem grande amigo John o ajuda na tarefa, mas Ted descobre que não pode ter um filho porque não é uma pessoa, e sim uma propriedade. Começa uma batalha judicial para que o urso de pelúcia prove que é um cidadão.

Comédia - EUA, 2015.

Direção: Seth MacFarlane.
Roteiro: Seth MacFarlane, Alec Sulkin e Wellesley Wild.
Elenco: Mark Wahlberg, Seth MacFarlane, Amanda Seyfried, Jessica Barth, Giovanni Ribisi, Morgan Freeman, Sam J. Jones, Patrick Warburton, Michael Dorn, Bill Smitrovich, John Slattery, Liam Neeson, Patrick Stewart, Jay Leno, Jimmy Kimmel, Tom Brady, Nana Visitor, Alec Sulkin, dentre outros.

Duração: 115 min.
Classificação: 16 anos.



Mulheres no Poder

Senadora corrupta, Maria Pilar vê uma grande oportunidade de ganhos na licitação do projeto Brasil Brasileiro. Após entrar em contato com a ministra Ivone Feitosa em busca de maiores informações, Maria é orientada a conversar com a secretária-executiva do ministério, Madalena, para acertar uma armação. Mal sabe ela, porém, que Madalena tem seu próprio plano para se dar bem sozinha.

Comédia - Brasil, 2014.

Direção: Gustavo Acioli.
Roteiro: Gustavo Acioli.
Elenco: Dira Paes, Stella Miranda, Milena Contrucci Jamel, dentre outros.

Duração: 98 min.
Classificação: 12 anos.



Jedi Carioca - A Trajetória do CJRJ

A história do Conselho Jedi no Rio de Janeiro, o mais antigo fã-clube de Star Wars no Brasil. Há 18 anos, a instituição reúne todos os tipos de fãs da saga de George Lucas.

Documentário - Brasil, 2015.

Direção: Helvecio Parente.

Duração: 105 min.
Classificação: Livre.







Que Horas ela volta?

A pernambucana Val se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino vai prestar vestibular, Jéssica telefone, pedindo ajuda para ir à São Paulo, para prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente, coisa que não deveria, a situação se complica.

Drama - Brasil, 2015.

Direção: Anna Muylaert.
Roteiro: Anna Muylaert.
Elenco: Regina Casé, Camila Márdila, Antonio Abujamra, Helena Albergaria, Karine Teles, Lourenço Mutarelli, Luis Miranda, Michel Joelsas, Theo Werneck, dentre outros.

Duração: 114 min.
Classificação: 12 anos.



Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 12:46  




Já faz 20 anos que Waterworld - O Segredo das Águas foi lançado nos cinemas. Nada mais justo que relembrar um clássico.



Lançado em 1995, o filme do então super-astro Kevin Costner foi considerado talvez uma das produções mais desastrosas já concebidas e lançadas até então.



O projeto ganhou força em Hollywood bastante graças a crescente paranóia da década de 90, que era o temor de que o planeta seria incapaz de suportar a expansão humana e sua exploração incessante dos recursos naturais. Vale lembrar que a Eco 92 havia acabado de acontecer no próprio Rio de Janeiro, reunindo pessoas do mundo inteiro, as levando a discutir essas questões. O temor do aquecimento global, e a possibilidade de que as calotas polares derreteriam elevando o nível do mar em vários quilômetros* fazia parte da mentalidade da época.


*Na verdade, em tal evento, é bem provável que boa parte do mundo continuaria igual. Mesmo com todo o degelo polar, o mar não subiria tanto assim, e inundaria somente cidades costeiras. Só que como estamos falando de um filme de ficção, existe um certo nível de liberdade dramática, então na visão dos autores, um degelo inundaria o mundo, incluindo todos os continentes por inteiro, já que esse é o motor da narrativa por trás do mito da Terra Seca.



Para quem se lembra do filme (e suas falhas de lógica de roteiro gigantescas), todos os sobreviventes viviam em alto mar em atóis ou barcos. Costner interpretava Mariner, um humano semi-mutante que era capaz de nadar e respirar embaixo da água, e era visto como uma aberração pelos demais humanos sobreviventes naquele futuro pós-apocaliptico. Gangues como os inexplicáveis Smokers (como eles conseguiam arranjar cigarros num mundo coberto de água?) que atacavam os inocentes. Mariner encontrava Helen (Jeanne Tripplehorn) e sua enteada Enola (Tina Majorino), uma garota que possuía uma tatuagem misteriosa em suas costas que supostamente seria um mapa a ser decifrado que levaria os sobreviventes até a Terra Seca, uma terra milagrosa que não teria sido inundada no passado. Deacon (um dos melhores vilões feitos por Dennis Hopper) também desejava encontrar a terra e estava disposto a raptar a menina. Por isso, Helen pede ajuda ao antissocial Mariner para que os leve à Terra Seca.



A trama era praticamente uma releitura do clássico Mad Max. A única diferença era o cenário, trocando o deserto sem fim pelo mar aberto. Como sempre dizem, em ficção, nada se cria e tudo se copia. Existe a velha teoria de existe um número bastante limitado de tramas possíveis a serem contadas nesse mundo. De qualquer forma, sempre achei esse semelhança um ponto forte. Nada mais justo do que homenagear um clássico. Assim como espectadores, roteiristas também admiram obras originais e procuram extrair o melhor delas.



Joss Whedon, em início de carreira, era requisitado por todos os estúdios para reescrever roteiros de blockbusters como o então recente Velocidade Máxima, e foi levado ao set do filme para ajudar Costner no roteiro. Anos depois, Whedon afirmou que aquelas foram sete semanas literalmente infernais. O grande desafio era acertar o final da trama. Outros roteiristas também tentaram salvar a história. Foram supostamente 36 versões diferentes do roteiro.


Esse foi um dos diversos problemas que o filme enfrentou. Um atol de 250 mil metros quadrados, que havia sido construído no Pacífico perto do Havaí, para ser usado como o set de filmagens, foi derrubado e levado a alto mar pelos ventos. Isso poderia ter sido evitado se o estúdio tivesse investido em estudos das correntes de vento da região. Outros problemas incluiram brigas constantes entre Costner e seu amigo e diretor do filme Kevin Reynolds, a ponto do diretor deixar a produção antes do fim*. Também teve aqueles que afirmaram que havia tensões constantes entre Costner e a equipe, pelo astro ter as melhores acomodações e demandas, enquanto que todo mundo arcava com condições precárias e uma jornada de trabalho incessante.


*Ambos já haviam colaborado em Robin Hood - Príncipe dos Ladrões, e essa briga não os impediria de trabalharem juntos novamente quase duas décadas depois, na minissérie Hatfields and McCoys, produzida pela HBO.



Entretanto, tudo é uma questão de percepção, e vale acrescentar que no mundo da mídia, do jornalismo existe aquela tendência em exagerar previsões, factóides a fim de promover uma visão negativa de diversas matérias, as vezes em detrimento dos próprios fatos. Tudo em nome de fazer barulho e chamar a atenção. Resumindo: tragédia vende.


Waterworld teve problemas de orçamento, mas vale lembrar que filmes que se passam no mar sempre lidam com esses entraves. Tubarão, clássico de Steven Spielberg, passou pela mesma situação. Filmes que se passam inteiramente em alto mar enfrentarão obstáculos que filmes convencionais não teriam.



O que a maioria das notícias omite é o fato de que a Universal estava em processo de venda na época. A Seagram adquiriu 80% do estúdio enquanto o filme estava sendo finalizado. Contudo, nos termos do acordo, a Matsushuita, que era até então dona do estúdio, teria de segurar  um valor de dívidas estimado em cerca de 1 bilhão de dólares, compensando diversos projetos além de Waterworld. Ao mesmo tempo, a Seagram só precisou investir 12 milhões na pós-produção do filme.


E no fim das contas, a percepção de fracasso é relativa. O filme acabou rendendo dinheiro com as sessões internacionais. No mesmo ano que Waterworld foi lançado, a Carolco foi a falência com o filme de pirataria A Ilha da Garganta Cortada, que teve 90 milhões de prejuízo. Na verdade, esse nem foi o maior fracasso de Costner. Isso viria pouco depois com o lançamento do desastroso O Carteiro.


Um filme pode ser visto como fracasso ou sucesso depende de quem estiver contando a história. Superman: O Retorno, de 2006, é um desses exemplos: um filme que lucrou bem, mas foi visto como decepção pela Warner. Aí entra a questão de expectativa de lucro, mas todos deveriam se perguntar se expectativa de lucro não se confunde com ganância ou ambição. Mas essa é uma questão mais complexa.


Em retrospecto, Waterworld tinha tudo para dar errado, mas acabou indo pra frente e conseguiu agradar a pelo menos alguma parte do público. Depois do sucesso de Dança com Lobos e Robin Hood, Costner estava em alta, então era questão de tempo até que ele desse um passo em falso e atraísse os críticos mais fervorosos ansisos para ver ele em queda. Pessoalmente, é um filme que tenho prazer em rever se estiver passando. Com excelente direção de arte, fotografia, pouquíssimos efeitos especiais feitos digitalmente, e uma trilha sonora memorável de James Newton Howard, Waterworld é diversão e entrenimento garantido.





Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 13:04  

Momento Trivia: Entourage

(21 de ago de 2015)




Confira alguns fatos e curiosidades a respeito da produção do filme a seguir:



- O filme estava em produção desde que a série havia terminado em 2011, e assim como a transição de Sex and the City para o cinema, a HBO via o potencial para realizar o mesmo com Entourage. O criador da série, Doug Ellin, passou anos com seu colaborador Rob Weiss tentando acertar a história a ser contada e finalmente produzir um roteiro que agradasse o produtor Mark Wahlberg, e que todos do elenco original concordassem em filmar.


- Kevin Connolly, que interpreta E no filme, quebrou a perna filmando uma cena de futebol americano com Russell Wilson.


- De acordo com Doug Ellin, existe planos de mais duas continuações caso o filme seja um sucesso, formando-se uma trilogia no final.


- O filme começa logo após o episódio final da série cuja cena final envolvia Ari Gold (Jeremy Piven) e sua esposa em férias na Itália quando ele recebe um telefonema do estúdio.


- A série original, seus personagens e suas trajetórias são baseadas na vida pessoal de Mark Wahlberg antes dele tornar-se um astro de cinema. Seu agente, Stephen Levinson, é um dos produtores de Entourage. Supostamente, Ari Gold seria baseado no agente Ari Emmanuel na vida real.



- Vale lembrar também que Mark Wahlberg é irmão de Donnie Wahlberg, ex-cantor do New Kids on the Block, e é também ator que atuou em projetos como Band of Brothers.



- O filme, assim como a série, possui diversas aparições de artistas famosos de Hollywood.


- Doug Ellin disse que a montagem original do filme foi dada uma classificação de 18 anos pelo MPAA, o órgão fiscalizador norte-americano. Para conseguir uma censura de 16 anos, os produtores tiveram de cortar algumas das cenas mais picantes que normalmente seriam exibidas nos episódios do seriado na HBO (ao contrário do filme lançado em circuito aberto, o conteúdo de canais pagos não é sujeito a essa regulamentação).


- Domenick Lombardozzi (conhecido também por The Wire) faz um breve aparição no filme como amigo de infância de Vince Chase que havia causado problemas ao protagonista na terceira temporada do seriado. Ele aparece na montagem do vídeo vergonhoso protagonizado por Johnny Drama (Kevin Dillon).


- O personagem Turtle (Jerry Ferrara) foi inspirado em Donnie "Donkey" Carroll, assistente e amigo de Wahlberg, que morreu de asma em 2005.






Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 12:37  

Estreias da Semana - 20//08/2015

(20 de ago de 2015)




Confira em detalhes as estreias desta semana a seguir:



O Pequeno Príncipe

Uma garota acaba de se mudar com a mãe, uma controladora que deseja definir todos os passos da filha para que ela entre em uma escola conceituada. Entretanto, um acidente provocado por seu vizinho faz com que a hélice de um avião abra um buraco em sua casa. Ela investiga o objeto e torna-se amiga do vizinho, que lhe conta a história de um Pequeno Príncipe que vive em um asteróide, até que um dia encontrou um aviador perdido no deserto em plena Terra.

Animação / Fantasia - (The Little Prince) França, 2015.

Direção: Mark Osborne.
Roteiro: Irena Brignull e Bob Persichetti.
Elenco: Rachel McAdams, James Franco, Marion Cotillard, Paul Giamatti, Jeff Bridges, Benicio Del Toro, Mackenzie Foy, Vincent Cassel, Ricky Gervais, Albert Brooks, Guillaume Canet, dentre outros.

Duração: 106 min.
Classificação: Livre.



O Último Cine Drive-in

O jovem Marlombrando se vê obrigado a voltar à Brasília, sua cidade natal, devido a doença de sua mãe. Lá, ele reencontra seu pai, dono do Cine Drive-in há 37 anos, que ele insiste em manter aberto, mesmo sem espectadores.

Drama / Comédia - Brasil, 2014.

Direção: Iberê Carvalho.
Roteiro: Iberê Carvalho e Zepedro Gollo.
Elenco: Othon Bastos, Breno Nina, Rita Assemany, dentre outros.

Duração: 100 min.
Classificação: 12 anos.



O Julgamento de Viviane Amsalem

Em Israel, somente os rabinos têm o poder de firmar ou dissolver um casamento. Mas essa última opção só vale se houver consentimento do marido. Viviane pediu o divórcio faz três anos, mas seu marido, Elisha, o negou.

Drama - (Gett) Israel / França / Alemanha, 2014.

Direção: Ronit Elkabetz e Shlomi Elkabetz.
Roteiro: Ronit Elkabetz e Shlomi Elkabetz.
Elenco: Ronit Elkabetz, Simon Abkarian, dentre outros.

Duração: 116 min.
Classificação: 10 anos.



Entourage: Fama e Amizade

Após os eventos do seriado, o ator Vincent Chase e seus amigos são convidados pelo ex-agente Ari Gold, agora chefe de um estúdio, para estrelar um novo filme. Vince concorda, desde que seja o diretor deste novo projeto. Um ano depois, nada parece pronto, e os custos de produção superaram há muito o valor original.

Comédia - (Entourage) EUA, 2015.

Direção: Doug Ellin.
Roteiro: Doug Ellin e Rob Weiss.
Elenco: Kevin Connolly, Adrian Grenier, Jerry Ferrara, Kevin Dillon, Jeremy Piven, Perrey Reeves, Rex Lee, Debi Mazar, Emmanuelle Chriqui, Rhys Coiro, Constance Zimmer, dentre outros.

Duração: 105 min.
Classificação: 16 anos.



Sexo, Amor e Terapia

Judith é uma mulher sexualmente aberta, sem se privar de encontros casuais, e acostumada a rejeições. Lambert é um ex-viciado em sexo em fase de tratamento quando precisa conter seus impulsos. Quando Judith precisa trabalhar como assistente no consultório de Lambert, que é terapeuta de casais, a situação fica complicada para ambos.

Comédia / Romance - (Tu Veux... ou tu veux pas?) França, 2014.

Direção: Tonie Marshall.
Roteiro: Tonie Marshall e Nicolas Mercier.
Elenco: Sophie Marceau, Patrick Bruel, André Wilms, Sylvie Vartan, dentre outros.

Duração: 87 min.
Classificação: 14 anos.



Exorcistas do Vaticano

Angela Holmes acidentalmente corta seu dedo e vai parar na emergência, quando a infecção do ferimento faz com que ela aja de forma estranha. Assombrosamente, ela passa a causar ferimentos e até mortes em pessoas ao seu redor. O Padre Lozano a examina e acredita que ela esteja possuída.

Horror / Suspense - (The Vatican Tapes) EUA, 2015.

Direção: Mark Neveldine.
Roteiro: Christopher Borelli e Michael C. Martin.
Elenco: Olivia Taylor Dudley, Michael Peña, Dougray Scott, Djimon Hounsou, dentre outros.

Duração: 91 min.
Classificação: 14 anos.



Linda de Morrer

A cirurgiã plástica Paula aplica em si mesma uma fórmula experimental para eliminar celulites e morre. Com a ajuda de um amigo psicólogo/medium, ela volta à Terra a fim de impedir que sua ex-sócia lance o nocivo produto.

Comédia - Brasil, 2015.

Direção: Cris D'Amato.
Roteiro: Carolina Castro e Marcelo Saback.
Elenco: Glória Pires, Antonia Morais, Emílio Dantas, Susana Vieira, Ângelo Paes Leme, dentre outros.

Duração: 81 min.
Classificação: 12 anos.



A Doce Vida

Em Roma, Marcello Rubini é um jornalista que escreve fofocas para os tablóides sensacionalistas. Ele anseia ser um escritor sério, mas é incapaz de produzir material mais profundo do que as fofocas. Ele conhece uma herdeira rica que sofre de tédio e vive em busca de excitações novas.

Comédia / Drama - (La Dolce Vita) Itália / França, 1960.

Direção: Federico Fellini.
Roteiro: Federico Fellini, Ennio Flaiano e Tullio Pinelli.
Elenco: Marcello Mastroianni, Anita Ekberg, Anouk Aimée, dentre outros.

Duração: 160 min.
Classificação: 16 anos.



Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 13:27  




Confira alguns fatos e curiosidades de Missão Impossível - Nação Secreta a seguir:


- O filme se passa logo após aos eventos de Missão Impossível: Protocolo Fantasma, com Ethan Hunt preparando sua equipe para investigar o Sindicato.


- O filme tinha lançamento marcado para 25 de dezembro de 2015. Contudo, quando a Disney agendou Star Wars - O Despertar da Força para 17 de dezembro, e a MGM agendou o 007 - Spectre para a mesma época, a Paramount preferiu antecipar o lançamento do filme e evitar a forte competição.


- A fim de superar a proeza de escalar a torre do Burj Khalifa no filme anterior, ele resolveu pendurar-se na asa de um avião Airbus em processo de decolagem neste filme.


- Para executar a sequência do Airbus, Cruise teve de ir contra objeções de segurança da equipe. Sendo um piloto formado, ele estava ciente do perigo, mas queria sentir a pressão aérea pessoalmente. Dois obstáculos seriam pássaros na rota e resistência do ar. Para isso, um escudo protetor foi erguido para proteger a lente da câmera. Ao mesmo tempo, Cruise usou uma lente de contato especial que protegia todo seu globo ocular da corrente de ar. Oito tomadas foram filmadas. McQuarrie preocupou-se que Cruise entraria em pânico no meio da filmagem, mas o ator disse para não deter as filmagens até terminar a cena.




- Esse é o primeiro filme em que vemos o Sindicato. Eles eram os vilões principais na série de TV original da década de 1960, mas nunca tinham aparecido nos filmes, sendo brevemente mencionados em Protocolo Fantasma.


- Paula Patton e Maggie Q iriam reprisar seus papéis dos filmes anteriores, mas tiveram outros compromissos e acabaram ficando de fora.


- O número do terminal do cofre submarino que Ethan precisa acessar é 108. Esse número é a soma dos números enigmáticos do seriado LOST. J.J. Abrams foi responsável por ambas as produções.


- Pouco antes do final do filme, pode se ver um Aston Martin DB5. Esse carro é sempre visto nos filmes de James Bond.


- Tom Cruise também executou pessoalmente todas as sequências onde seu personagem dirigia um carro em alta velocidade.


- Christopher McQuarrie, roteirista e diretor do filme, foi selecionado por Cruise após trabalhar com ele em Jack Reacher.



Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 11:39  

Estreias da Semana - 13/08/2015

(13 de ago de 2015)





Confira, em detalhes, as estreias desta semana a seguir:



Missão Impossível - Nação Secreta

Ethan Hunt descobre que o famoso sindicato é real, e está tentando destruir o IMF. Para combater uma nação secreta bem equipada e treinada, ele precisará de toda a ajuda disponível, incluindo agentes pouco confiáveis.

Ação / Aventura / Suspense - (Mission: Impossible - Rogue Nation) EUA, 2015.

Direção: Christopher McQuarrie.
Roteiro: Drew Pearce e Christopher McQuarrie.
Elenco: Tom Cruise, Jeremy Renner, Simon Pegg, Rebecca Ferguson, Ving Rhames, Sean Harris, Alec Baldwin, Tom Hollander, dentre outros.

Duração: 132 min.
Classificação: 12 anos.



A Escolha Perfeita 2

Após conquistarem o sucesso, as Bardem Bellas ganham a oportunidade de se apresentarem para o presidente dos EUA. O show é um fiasco, e torna-se motivo de vergonha nacional. Elas são proibidas de participar em competições no meio acadêmico ou aceitar novas integrantes. A única saída para elas é vencer o campeonato mundial para apagar a punição, só que nenhuma equipe norte-americana até então foi capaz de vencer o torneio.

Comédia / Musical - (Pitch Perfect 2) EUA, 2015.

Direção: Elizabeth Banks.
Roteiro: Kay Cannon.
Elenco: Anna Kendrick, Rebel Wilson, Hailee Steinfeld, Brittany Snow, Skylar Astin, Adam DeVine, Katey Sagal, dentre outros.

Duração: 114 min.
Classificação: 12 anos.



A Dama Dourada

Década de 1980. Maria Altmann é uma judia sobrevivente da Segunda Guerra que decide processar o governo austríaco para recuperar o quadro Woman in Gold, de Gustav Klimt - retrato de sua tia que foi roubado pelos nazistas durante a ocupação. Ela conta com a ajuda de um jovem advogado, inexperiente e idealista.

Drama - (Woman in Gold) EUA / Inglaterra, 2015.

Direção: Simon Curtis.
Roteiro: Alexi Kaye Campbell.
Elenco: Helen Mirren, Ryan Reynolds, Daniel Brühl, Katie Holmes, Tatiana Maslany, Max Irons, Charles Dance, Jonathan Pryce, Antje Traue, Elizabeth McGovern, Frances Fisher, dentre outros.

Duração: 109 min.
Classificação: 10 anos.



Obra

Às vesperas do nascimento de seu primeiro filho, o arquiteto João Carlos encontra uma ossada na obra que está prestes a iniciar. A descoberta desestabiliza sua vida, fazendo com que ele questione sua profissão, a cidade onde vive, e até o relacionamento com sua esposa.

Drama - Brasil, 2013.

Direção: Gregório Graziosi.
Roteiro: Gregório Graziosi.
Elenco: Irandhir Santos, Júlio Andrade, Lola Peploe e Luciana Domschke.

Duração: 80 min.
Classificação: 12 anos.



Na Próxima, acerto o coração

Oise, França, 1978. Franck Neuhart é um policial que, nos dias de folga, comete assassinatos ao matar jovens mulheres a quem dá carona. Ninguém faz ideia de quem seja responsável pelos crimes, mas é o departamento de Franck que está investigando. Sem conseguir conter a ânsia em matar, Franck se envolve com a jovem Sophie, que trabalha em sua casa e é perdidamente apaixonada por ele.

Policial / Drama / Suspense - (La prochaine fois je viserai le coeur) França, 2014.

Direção: Cédric Anger.
Roteiro: Cédric Anger.
Elenco: Guillaume Canet, Ana Girardot, Jean-Yves Berteloot, Patrick Azam, dentre outros.

Duração: 111 min.
Classificação: 14 anos.



Sobre Amigos, amor e vinho

Antoine Chevalier sofre um ataque cardíaco enquanto comemora seu aniversário de 50 anos. Ele se dá conta que cuidou bem de sua vida, e decepcionado com a consequência, resolve adotar um novo estilo de vida largado.

Comédia - (Barbecue) França, 2014.

Direção: Eric Lavaine.
Roteiro: Eric Lavaine e Héctor Cabello Reyes.
Elenco: Lambert Wilson, Franck Dubosc, Florence Foresti, dentre outros.

Duração: 98 min.
Classificação: 14 anos.



Las Insoladas

Argentina, década de 1990. Na véspera do ano novo, seis colegas da aula de dança tomam sol em um prédio e irão participar de uma competição de salsa. Elas falam de seus sonhos, e fazem um pacto na intenção de descobrirem Cuba: elas irão economizar dinheiros juntas a fim de comprar uma passagem para conhecerem Havana, no próximo ano novo.

Comédia - Argentina, 2014.

Direção: Gustavo Taretto.
Roteiro: Gustavo Taretto e Gabriela García Rivas.
Elenco: Carla Peterson, Maricel Álvarez, Luisana Lopilato, dentre outros.

Duração: 105 min.
Classificação: 16 anos.



Império Proibido

No início do Século XVIII, um cartógrafo inglês, Jonathan Green, se aventura em uma jornada para mapear as terras desconhecidas da Transilvânia, a fim de descobrir segredos obscuros e perigosas criaturas em uma amaldiçoada floresta ucraniana.

Aventura / Fantasia / Suspense - (Viy) Rússia / Ucrânia / República Tcheca, 2014.

Direção: Oleg Stepchenko.
Roteiro: Aleksandr Karpov, Nikolai Gogol e Oleg Stepchenko.
Elenco: Jason Flemyng, Andrey Smolyakov, Aleksey Chadov, dentre outros.

Duração: 127 min.
Classificação: 12 anos.



Cativas - Presas pelo Coração

Documentário sobre sete mulheres apaixonadas por presidiários. Mesmo estando em relacionamentos limitados, elas nunca perdem a esperança de um dia constituir família do lado de fora da cadeia com eles.

Documentário - Brasil, 2013.

Direção: Joana Nin.
Roteiro: Joana Nin e Sandra Nodari.

Duração: 77 min.
Classificação: 12 anos.








Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 13:15  




Em uma conversa com o Collider, o roteirista Max Borenstein disse que está trabalhando no roteiro do novo Godzilla, continuação do filme de 2014, e que está almejando produzir uma história ainda maior e melhor.


Eis um dos maiores dilemas que assola o cinema comercial nos dias atuais. Como que uma continuação supera a obra original?


Essa é uma questão difícil de ser respondida. Produzir filmes já é em si um desafio gigantesco. Reunir dezenas de pessoas e executar sua visão requer tempo, paciência e recursos. E isso é apenas na etapa de produção. Após tudo isso, resta superar o maior desafio que todo filme possui: agradar o público e tornar-se sucesso. Caso isso aconteça, o diretor pode sentar-se com calma e dizer missão cumprida....



....Só que o estúdio chega logo em seguida e o pede para assumir a direção da famigerada sequência.



Existem diversos motivos pelo qual o diretor não queira assumir tal responsabilidade: ele pode estar exausto da megaprodução anterior ou ele pode ter outros projetos pessoais que deseja trabalhar. As possibilidades são diversas, mas o receio de retomar a mesma obra de ficção com os mesmos personagens é uma ressalva pertinente.



E é por isso que raramente diretores retornam para assumir continuações. Nesse caso, o estúdio contrata alguém menos conhecido e fácil de seguir diretrizes pré-estabelecidas de produção. E esse é um dos motivos pelo qual sequências quase nunca chegam perto do filme original.


Vamos tomar como exemplo a franquia Indiana Jones. Como todos sabem, Os Caçadores da Arca Perdida (1981) foi lançado nos cinemas, foi um sucesso imediato, introduzindo um personagem carismático vivido por Harrison Ford, e fez da arqueologia, um ramo acadêmico, fruto de diversas aventuras. Ninguém contesta o sucesso do filme original, criado por Lucas e Spielberg. Tanto que mais de 30 anos depois, ele envelheceu bem, e reprisá-lo quase sempre garante uma sessão divertida.



Já o mesmo não pode se dizer de suas continuações. É claro que opiniões variam de filme para filme. Gosto é subjetivo. Todavia, é quase certo afirmar que O Templo da Perdição (1984), A Última Cruzada (1989) e O Reino da Caveira de Cristal (2008) não foram capazes de se igualar ao impacto do filme original. Acho que cada filme possui seus méritos e são fatias essenciais que mostram a evolução do personagem icônico. Só que é impossível recriar aquele impacto original. Mesmo quando outro estúdio tenta criar uma obra diferente com semelhanças, o resultado deixa a desejar como vimos quando a Disney produziu A Lenda do Tesouro Perdido (2004). A percepção de Indiana Jones já havia contaminado o público e qualquer tentativa de recriar a mesma impressão deixaria a desejar.


A analogia da copiadora funciona bem nesse caso. Fazer a cópia de uma cópia jamais produzirá um resultado satisfatório.


De qualquer forma, esta não é uma regra rígida. Existem continuações mais do que capazes de se igualar ou até superar a obra original. O desafio para qualquer autor é ser capaz de expandir a obra original e encontrar uma história a ser contada que contribua para o enriquecimento desse universo. O próprio Tolkien teve esse desafio ao criar O Senhor dos Anéis, seguindo o sucesso de O Hobbit.



No fim das contas, é um desafio de escala vertiginosa se superar a cada obra produzida, ainda mais no mundo atual em que vivemos, em que o público a atenção dividida dentre tantos estímulos. Se a obra não for capaz de prendê-los logo de cara, então não irá.


Para Hollywood, que vive de continuações, prequels e remakes, isso é um desafio maior ainda. E por mais que os sucessos garantidos persistam, percebe-se que há cada vez menos espaço para obras originais. E não será o aparente fracasso do novo Quarteto Fantástico* que mudará essa mentalidade.


*Havia planos para inserir o filme no mesmo universo cinematográfico dos X-Men. Com o aparente fracasso, os planos vem sendo timidamente abortados pelo estúdio.




Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 12:32  




Confira alguns fatos e curiosidades sobre o filme:



- O filme foi produzido pela Fox com o simples propósito de preservar os direitos de adaptação, que estavam para expirar e voltariam às mãos da Marvel caso uma produção não fosse iniciada. Eles tinham um prazo de sete anos após a produção do último filme de 2007, e deram início ao desenvolvimento deste filme em 2014, quando Josh Trank foi contratado como diretor.


- Durante a cena em que Susan rastreia um sinal, aparece numa tela o endereço de ip 23.21.190.125. Inserir esse número na busca do Google resulta em links para artigos relacionados a Latveria, terra de onde veio o Dr. Destino.


- Os uniformes que o grupo usa foram baseados em roupas anti-radiação.


- Jamie Bell pediu ajuda a Andy Serkis para interpretar o Coisa utilizando a roupa especial de captura de movimentos. Serkis tem experiência com esse método interpretando personagens computadorizados como César e Gollum.


- O filme é um reboot dos dois filmes do Quarteto Fantástico, lançados em 2005 e 2007.


- Michael B. Jordan, ator afro-americano, foi a primeira escolha do diretor Josh Trank para interpretar Johnny Storm. Nos quadrinhos, o personagem é branco e irmão de Susan Storm. No filme, Susan (interpretada por Kate Mara) tornou-se irmã adotiva. Trank diz que essa sempre foi a escolha, refletindo sua própria vida pessoal. De acordo com ele, sua família é uma mistura de pessoas de origens diferentes.


- O filme passou por diversas refilmagens, após executivos da Fox verem a primeira versão do filme entregue por Trank. O filme, que era para ser uma produção focada nos personagens, teve sequências de ação inseridas nesse processo, feitas com tanta pressa que se percebe o mal acabamento dos efeitos especiais e da falta de coerência da trama.



Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 13:10  

Estreias da Semana - 06/08/2015

(6 de ago de 2015)




Confira em detalhes as estreias desta semana nos cinemas. Confira também o trailer de cada lançamento.



Quarteto Fantástico

Quatro jovens conhecidos pela inteligência e limitação social são enviados em uma missão perigosa numa dimensão alternativa. A missão é um fracasso, e eles voltam a Terra com sérias alterações corporais, ganhando poderes especiais. Eles agora são o Senhor Fantástico, a Mulher Invisível, o Tocha Humana e o Coisa. Eles se unem para proteger a humanidade do ataque do Dr. Destino.

Ação / Aventura / Ficção Científica - (Fantastic Four) EUA, 2015.

Direção: Josh Trank.
Roteiro: Simon Kinberg, Jeremy Slater e Josh Trank.
Elenco: Miles Teller, Kate Mara, Michael B. Jordan, Jamie Bell, Toby Kebbell, Reg E. Cathey, dentre outros.

Duração: 100 min.
Classificação: 10 anos.




Vôo 7500

O vôo 7500 parte de Los Angeles com destino a Tóquio. Durante a viagem de 10 horas, os passageiros percebem a presença de uma entidade sobrenatural na cabine.

Suspense / Horror - (7500) Japão / EUA, 2015

Direção: Takashi Shimizu
Roteiro: Craig Rosenberg
Elenco: Leslie Bibb, Amy Smart, Ryan Kwanten, Jamie Chung, Jerry Ferrara, dentre outros.

Duração: 97 min.
Classificação: 12 anos



Real Beleza

João é um fotógrafo decadente, procurando uma nova modelo para relançar sua carreira. Ele parte para o sul do Brasil, onde fotografa dezenas de adolescentes, até se encantar com a beleza de Maria, que deseja se tornar modelo internacional. Mas Pedro, o pai da garota, se opõe à essa escolha. Durante uma viagem de Pedro, João tem um caso amoroso com Anita, mãe de Maria.

Drama - Brasil, 2014.

Direção: Jorge Furtado.
Roteiro: Jorge Furtado.
Elenco: Adriana Esteves, Vladimir Brichta, Vitória Strada, Francisco Cuoco, dentre outros.

Duração: 84 min.
Classificação: 14 anos



Que Mal eu fiz a Deus?

O casal Verneuils tem quatro filhas. Católicos, conservadores e preconceituosos, eles não ficaram felizes quando três de suas filhas casaram com homens de diferentes nacionalidades e religiões. Quando a quarta filha anuncia seu casamento com um católico, a família vai ao de
lírio. Quando as duas famílias se reúnem, eles descobrem que nem tudo é do jeito que eles querem.

Comédia - (Qu'est-ce qu'on a fait au Bon Dieu?) França, 2014.

Direção: Philippe de Chauveron.
Roteiro: Philippe de Chauveron e Guy Laurent.
Elenco: Christian Clavier, Chantal Lauby, Ary Abittan, Medi Sadoun, dentre outros.

Duração: 97 min.
Classificação: 12 anos.



Jimmy's Hall

O filme conta a história de Jimmy Gralton, líder comunista irlandês que desafiou a Igreja Católica questionando sua censura à liberdade de expressão. Ele gerou discórdia ao inaugurar um espaço para as pessoas debaterem. A trama retoma o período em que ele volta ao país após passar 10 anos em Nova York.

Drama - Inglaterra / Irlanda / França, 2014.

Direção: Ken Loach.
Roteiro: Paul Laverty.
Elenco: Barry Ward, Simone Kirby, Francis Magee, Andrew Scott, Jim Norton, dentre outros.

Duração: 109 min.
Classificação: a definir.




Gemma Bovery - A Vida imita a Arte

A inglesa Gemma Bovery se muda com o marido para uma pequena cidade francesa. Ela logo desperta a atenção de Martin Joubert, um morador local que fica encantado com sua beleza e também com as semelhanças que possui com a protagonista de Madame Bovary, clássico da literatura.

Comédia / Drama - França / Inglaterra, 2014.

Direção: Anne Fontaine.
Roteiro: Pascal Bonitzer e Anne Fontaine.
Elenco: Gemma Arterton, Fabrice Luchini, Jason Flemyng, dentre outros.

Duração: 99 min.
Classificação: 14 anos.




Party Girl

Angélique tem 60 anos e é hostess em uma boate. Funcionária mais velha da casa, ela não abre mão de nada por conta da idade avançada.

Drama - França, 2014.

Direção: Marie Amachoukeli-Barsacq, Claire Burger e Samuel Theis.
Roteiro: Marie Amachoukeli-Barsacq, Claire Burger e Samuel Theis.
Elenco: Angélique Litzenburger, Joseph Bour, Mario Theis, Samuel Theis, dentre outros.

Duração: 96 min.
Classificação: 14 anos.





Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 12:59  

O Quarteto Fantástico de 1994

(4 de ago de 2015)




Quarteto Fantástico está prestes a voltar aos cinemas. Como muitos já sabem, o filme do diretor Josh Trank que estreia nesta quinta-feira é um reboot feito pela Fox para apagar a má recepção dos dois filmes que eles haviam lançado em 2005 e 2007. Como muitos devem lembrar esses foram os filmes com Jessica Alba - considerada por muitos péssima no papel de Sue Storm - e que tinham uma mistura de tom cômico com situações ridículas que dividiram as opiniões dentre os fãs. Por serem os quadrinhos de maior sucesso da Marvel, era evidente que o sucesso deste filme tornaria-se emblemático, e que o fracasso seria um golpe contra a indústria de adaptações cinematográficas de quadrinhos da mesma forma que Batman e Robin foi em 1997. Como se viu, os fãs dos quadrinhos não engoliram estas versões dos personagens.


O que nem todos sabem é que Quarteto Fantástico teve outra versão cinematográfica produzida na década de 1990. Só que com um detalhe: o filme nunca foi lançado nos cinemas.




Tudo começou em 1983, com o interesse do produtor alemão Bernd Eichinger que tentou conseguir os direitos de adaptação do próprio Stan Lee, criador dos personagens. A companhia de Eichinger, a Neue Constantin, adquiriu os direitos em 1986 por cerca de 250 mil dólares. Contudo, questões orçamentárias impediam a viabilidade de produção, e o contrato para realizar um filme tinha prazo até 1992. Se ele não tivesse capacidade de realizar o filme até lá, ele perderia a oportunidade de fazê-lo pois os direitos voltariam para a Marvel.


Como não havia como estender sua opção dos direitos de produção, e estando determinado a manter a opção de produzir o filme, Eichinger resolveu fazer uma produção pequena e barata, e assim aliou-se a Roger Corman, especialista do ramo.


As filmagens começaram em dezembro de 1992, com direção de Oley Sassone, mais conhecido por montar clips musicais. Para encarnar os papéis dos heróis, eles contrataram Alex Hyde-White para interpretar Reed Richards, o Homem-Elástico, Jay Underwood para fazer Johnny Storm, o Tocha Humana, Rebecca Staab para interpretar Sue Storm, a Mulher Invisível, e Michael Bailey Smith para interpretar Ben Grimm, o Coisa.


Aí, entra uma questão vital: por que não conseguiam levantar o dinheiro necessário para realizar o filme da melhor maneira possível? Afinal, em 1994, Hollywood já operava na mentalidade blockbuster. Filmes como Star Wars e De Volta para o Futuro já tinham passado pelos cinemas, mostrando que era possível para outros trilharem esse mesmo caminho.


Mas nesse caso, estamos falando de adaptações de super-heróis vindas de histórias em quadrinhos. Até então, as duas grandes histórias de sucesso eram apenas Batman e Superman. E mesmo assim, não eram casos de retorno 100% garantido. Superman fez sucesso com seus dois primeiros filmes, e Batman apenas com o original de 1989. Todas as continuações foram incapazes de atingir as mesmas expectativas, e tiveram críticas divididas, e bilheterias reduzidas.


Além disso, vale lembrar que na época, a Marvel não era o império de sucessos que é hoje. A divisão de histórias em quadrinhos impressas sofria severamente com vendas reduzidas que inclusive levaram a companhia a pedir concordata em 1996. Adaptar seus personagens para o cinema era um processo arriscado, e muitos deles estavam presos com outros estúdios, que não conseguiam chegar a um consenso (caso de Homem-Aranha, que levou mais de uma década até produzirem o primeiro filme de Sam Raimi).


Seja como for, a produção seguiu adiante com a mão de Corman. Tudo foi filmado em três semanas. Só que nenhum dos envolvidos na produção, incluindo os atores, faziam ideia de que eles jamais sairiam nos cinemas.


De qualquer forma, ao ver o filme dá para se entender o porquê dele jamais ter sido lançado comercialmente:





Como podemos ver, a qualidade de produção deixa a desejar, com efeitos visivelmente toscos até para quem assistiu a seriados da década de 1960. Evidentemente, uma produção barata feita às pressas. Em outras palavras, um filme B.


Isso não impediria que o filme fosse lançado como um produto alternativo. Não havia porque não fazer isso. E esse era o rumo que haviam tomado. Inclusive, apresentaram o filme em uma convenção de quadrinhos em Los Angeles, que rendeu aplausos do público, dando início a uma campanha de marketing desprovida de fundos, mas repleta de paixão por parte de todos os envolvidos, incluindo o elenco. Parecia que o filme seria lançado em 1994 assim mesmo....


Também havia circulado a teoria de que Eichinger teria feito o filme as pressas e impedido seu lançamento somente para lucrar com a permanência do contrato de produção. Mas aparentemente, o que realmente aconteceu foi que a Marvel interviu no lançamento ao ver o filme pronto. E de acordo com Eichinger, Avi Arad, um dos produtores executivos da Marvel, comprou o filme deles por alguns milhões de dólares, e supostamente teria ordenado que todas as cópias existentes fossem destruídas.


Anos depois, quando o filme de 2005 foi promovido e lançado, deu para ver que a Marvel tratava o filme original como seu filho bastardo, ignorando sua existência. Tanto que a LA Magazine tentou conduzir uma entrevista com Arad na época para falar do filme original, mas ele disse que falaria apenas do então filme sendo lançado. Tanto ele quanto Stan Lee preferiam não manchar a imagem da Marvel levantando aquelas lembranças.


Hollywood seguiu em frente, e Eichinger eventualmente produziu o filme de 2005 com pleno apoio da Fox, direção de Tim Story, e todo o aparelhamento para fazer dele um blockbuster bem-acabado. E como se viu no resultado final, nem todo o melhor acabamento de produção foi capaz de mascarar um roteiro deficiente e atuações que desapontaram muitos....


Cinema é um negócio, mas também é uma arte. Por mais que a existência do longa original seja um inconveniente para diversas figuras influentes envolvidas, parto da opinião que arte merece ser expressada e liberada para o público que esteja interessado em descobrí-la. Existem inúmeros filmes que foram engavetados por motivos semelhantes, e que merecem ser descobertos, independente da reação que eles causem, porque no fim das contas é para isso que eles são feitos: para gerar reações.


Vale conferir também o documentário Doomed!. que aborda a produção do filme mais a fundo. Segue o trailer dele logo abaixo:






Posted in 0 comentários Postado por Eduardo Jencarelli às 11:45