Confira alguns fatos e curiosidades sobre o filme, a seguir:



- Monica Bellucci, aos 51 anos de idade, é a Bond Girl mais velha já vista na série.


- Gary Oldman foi abordado para interpretar o papel de Franz Oberhauser, mas não estava disposto a dedicar seis meses às filmagens. Isso levou os produtores a contratarem Christoph Waltz para realizar o papel.


- É o primeiro filme da série a não ter o icônico som da trompeta sendo tocada por Derek Watkins, músico que tocou o instrumento em todos os filmes da série, e morreu logo após o lançamento de Skyfall.


- O carro de 007, um modelo Aston Martin DB-10, foi criado pela montadora exclusivamente para o filme.


- Fugindo do padrão da série de contratar diretores diferentes para cada filme, os produtores trouxeram de volta Sam Mendes (Beleza Americana) que havia dirigido o antecessor Skyfall.


- O roteiro do filme faz referências diretas aos eventos ocorridos nos filmes anteriores de Bond feitos por Daniel Craig (no caso a influência da organização SPECTRE nos vilões anteriores).


- Além disso, o longa é repleto de homenagens visuais a filmes que antecedem a era Craig. Isso inclui uma tentativa de 007 controlando um helicóptero em queda no México que remete a uma cena em Goldeneye onde Pierce Brosnan tenta levantar o nariz de um avião.


- SPOILER: É a primeira aparição do vilão Blofeld (Franz Oberhauser) e da organização SPECTRE desde a década de 1970. A Eon Productions - responsável por toda a série - havia sido proibida de usar o nome ou o personagem após um processo judicial do produtor Kevin McClory, que havia trabalhado no roteiro de 007 Contra a Chantagem Atômica e tinha os direitos de ambos. Durante décadas a Eon não pode usá-los até a morte de McClory em 2006 e o processo de recuperação dos direitos nos anos seguintes. O nome foi omitido pela primeira vez nos roteiros preliminares de O Espião que me Amava.


- Há uma homenagem a Stanley Kubrick. Na sequência de abertura no México, Bond entra no quarto cujo número é 237, uma referência a O Iluminado.


- 1500 pessoas foram contratadas como figurantes na sequência do Dia da Morte, no México. Uso de edição e computação gráfica estendeu esse número para 10.000.





Posted in Postado por Eduardo Jencarelli às 11:44  

0 comentários:

Postar um comentário